Comparar laranja com laranja e nuvem corporativa com nuvem corporativa

Não é raro se deparar com empresas interessadas em contratar serviços de Cloud Computing. Com a divulgação de todos os benefícios que esta tecnologia proporciona é fácil entender porque esta demanda tem crescido muito no Brasil. Também tem crescido a variedade de ofertas deste tipo de serviço ou pelo menos com o mesmo nome, que ao invés de ajudar, atrapalham o cliente na tomada de decisão. Um dos itens mais questionados às nossas equipes comerciais em todo o Brasil é com relação a preço. É muito comum que as empresas façam cotações com mais de um fornecedor para garantir a melhor compra. É neste momento que surge a surpresa. Apesar de possuírem a mesma nomenclatura, empresas de serviços com ofertas de Cloud Servers, IaaS ou mesmo SaaS têm soluções técnicas completamente diferentes e, portanto, justificando a diferença de preços que em alguns casos chega a ser muito expressiva.

Este texto foi criado para que nossa equipe comercial pudesse, de forma objetiva, auxiliar o cliente na comparação qualitativa das soluções e assim poder avaliar o quesito preço de forma justa e com isonomia que este tipo de análise requer. Resolvemos publicar porque acreditamos muito no amadurecimento do comprador deste tipo de solução e que este profissional está cada vez mais instruído para separar as nomenclaturas e qualificar rigorosamente antes de contratar.

A seguir um roteiro para identificar as diferentes ofertas de serviços entre os fornecedores. Nossa proposta é que você submeta este “checklist” a cada fornecedor de serviços de Data Center que estiver cotando a solução e transporte para uma planilha a fim de comparar cada um deles. Tomamos a liberdade, claro, de já incluir as observações referentes a PRIMEHOST. Aqui vão apenas 10 pontos iniciais que, certamente, irão inspirar o gestor de TI a desenvolver mais questionamentos pertinentes ao seu projeto:

1. Qual o nível de certificação do Data Center?

O que sempre deve ser lembrado é que toda nuvem possui uma base física, ou seja, um ou mais (desejável) Data Center por traz, sustentando tudo. É inevitável que se este Data Center não tiver qualidade, certamente a nuvem também não terá o mesmo nível. As certificações desta infraestrutura são boas pistas de que você está contratando certo.

A PRIMEHOST possui estrutura nos mais conceituados Data Centers do Brasil, padrão Tier III e com certificação SAS70 tipo II, ISO 27001. Alguns dos nossos “vizinhos” de rack podem dar noção da robustez desta infraestrutura: Microsoft, Amazon, Cisco, HP, Yahoo, Google e muitas outras.

2. Seu fornecedor possui site backup?

Mesmo quando falamos de Data Center de altíssima disponibilidade devemos oferecer um plano “B” no caso de tudo dar errado (o exemplo campeão de citações nas negociações comerciais é o das Torres Gêmeas). Por isso, para que uma nuvem seja realmente robusta e garanta disponibilidade, o fornecedor precisa estar em pelo menos 2 Data Centers distintos. Isso eleva significativamente o SLA do serviço.

A PRIMEHOST é um provedor de serviços que estruturou sua nuvem ao longo de 12 anos de experiência em múltiplos Data Centers no Brasil e hoje está entre a empresas mais bem avaliadas do mercado quanto a disponibilidade e qualidade de serviços, sendo selecionada pelo Grupo Gerdau e Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) como umas das empresas mais competitivas  do mercado, figurando entre as 10 mais do estado de São Paulo.

3. Estes Data Centers estão no Brasil?

É muito comum que empresas voltadas para mercados de menor valor agregado utilizem estrutura fora do Brasil para criar suas nuvens e ofertar serviços baratos como se estivessem hospedados aqui. A grande motivação destas empresas é, evidentemente, o preço. Todos nós que trabalhamos neste segmento temos o sonho de, um dia, ter os mesmo nível de preço que nos Estados Unidos mas isso ainda não é possível e a conectividade para acessar estes serviços fora torna o produto pouco eficiente apresentando baixos níveis de qualidade não tolerados em projetos corporativos. Serviços hospedados fora são completamente diferentes dos serviços hospedados aqui no Brasil. Pense bem, se não fosse assim, por que as empresas nacionais contratariam pagando mais?

A PRIMEHOST possui 2 Data Centers no Brasil e você pode visitá-los se quiser.

4. Qual sistema de monitoramento (cpu, memoria, disco, processos, link de comunicação, etc.) lógico utilizado?

Monitoração é um serviço agregado ao Data Center. Monitorar não significa manter um painel ligado com pessoas olhando pra ele. Monitoração é mais profundo que isso, exige software que age de forma proativa e automática na detecção de problemas que, em muitos casos, nem chegam ao conhecimento do cliente porque são percebidos antes mesmo de acontecer. São tecnologias de ponta que instruem quando e como as equipes especialistas devem agir na manutenção do ambiente. Sem monitoração eficiente até mesmo a nuvem mais robusta pode apresentar surpresas de difícil resolução.

A PRIMEHOST monitora 100% da sua nuvem com aplicação contratadas de fornecedores mundiais, estruturas complexas com alto poder de processamento e distribuição, premiada por diversos anos e adotada por empresas como a CA Technologies — Business Service Innovation. Monitoramos do mais baixo nível de hardware até camadas de aplicação e bando de dados.

5. Quais são os níveis de suporte e seus tempos?

É claro que quando você compra uma solução de alto nível a última coisa que você o pensa é que vai dar problema. Acredite, problemas podem acontecer. Quando os problemas acontecem você tem que ter certeza de que alguém muito bom estará trabalhando por você e resolverá no menor tempo possível. A PRIMEHOST possui níveis de SLA para suporte nível I, II e III que parte de 30 minutos e podem chegar, no máximo, a 1 hora para resolução, dependendo, claro, da complexidade do problema.

6. Possui clientes importantes em sua carteira, disponibiliza alguns contatos para verificação/pesquisa?

Quando você quer avaliar uma empresa basta ver quem ela atende. Esta é uma forma segura e objetiva de dizer: se a Petrobrás contratou este fornecedor eu também me sinto bem em contratar, se o Instituto Metrus (Metrô de São Paulo) contratou este fornecedor, porque eu não contrataria? Se empresas do segmento financeiro são clientes há anos, porque eu não deveria confiar. Se até mesmo governo federal, estadual e municipal contratam, como eu poderia reprovar esta solução?

A PRIMEHOST é exatamente esta empresa e os casos anteriores são clientes reais de nossa carteira, solicite outros casos ao seu Gerente de Contas.

7. Qual o nível de qualificação da equipe do Data Center?

É importante saber quem são as pessoas que vão cuidar da sua nuvem. Na maioria das vezes estas certificações estão ligadas aos profissionais que, eventualmente, entram e saem das empresas procurando ofertas melhores de condições de trabalho. Desta forma, recomendamos que você não investigue apenas as certificações, procure saber se estes profissionais são registrados conforme a CLT e se eles possuem benefícios com plano de saúde, odontológico, plano de carreira etc. Pode ter certeza, uma equipe reconhecida pela empresa e respeitada em seus direitos é mais eficiente e dedicada aos assuntos que afetam diretamente o cliente.

Na PRIMEHOST além de certificações inúmeras como CCNA, Certificação VMWare VCP, Fortinet, MCSA 2000, MCP 2003, MCTS Windows 2008 e Exchange Server 2010, todos os colaboradores estão rigorosamente sendo atendidos em seus direitos trabalhistas e sendo respeitados como pessoas importantes dentro da organização.

8. Em relação aos sistemas de firewall, meus servidores estarão seguros?

Há sempre alguém promovendo ameaças na Internet. Seja por um mecanismo automático, seja por uma iniciativa maldosa manual. Não me pergunte “por quê” mas estes caras existem. Para isso existem inúmeros procedimentos e tecnologias capazes de neutralizar estas atividades. Na maioria dos casos o Firewall resolve em alguns outros somente uma consultoria de segurança pode ajudar. Mas isso não é apenas uma característica de nuvem, acontece para qualquer dispositivo acessível pela internet com ainda maior incidência nos que estão fora dos Data Centers. Se você quer contratar porque necessita de um ambiente intransponível e seguro, certifique-se de que esta camada de proteção seja efetivamente um “know how” do fornecedor contratado e que ele possa ir além do trivial serviço de firewall.

A PRIMEHOST está entre as 40 empresas homologadas pela Fortinet, maior empresa de segurança do mundo, e aplica conceitos rigorosos de controle e gestão de segurança em sua estrutura. Disponibilizamos estruturas dedicadas de Firewall quando o próprio cliente quer programar suas políticas de segurança. Além disso, nossa unidade negócios exclusiva para serviços de segurança conta com profissionais reconhecidos no mercado nacional e com atuação em instituições financeiras e bancos renomados.

9. Qual o nível de disponibilidade dos recursos do Data Center em percentual, o famoso SLA?

Em um mundo regido por alta disponibilidade, sempre, os tempos desta disponibilidade e/ou resposta do fornecedor de Data Center são determinantes para avaliar a qualidade que a empresa terá durante o contrato e até mesmo qual o nível de exigência poderá ser feito para que Acordo de Nível de Serviço (SLA) seja devidamente cumprido.

A PRIMEHOST trabalha com os mais altos índices de SLA para o data center, partindo de 99,982% ao ano, podendo chegar ao valor nominal de 100% quando o cliente opta pela solução ativo/ativo em pelo menos dois Data Centers. Isso significa que sua estrutura não vai ficar fora do ar (inacessível) por tempo significativo e tudo isso está garantido em contrato, sob pena, de devolução do dinheiro pago. A arquitetura da nossa nuvem nos permite garantir este nível de serviço. As raras situações de inconformidade do ambiente técnico são tratadas antes meso de causarem problemas perceptíveis, com processos definidos e investimento e softwares apropriados.

10. Como os equipamentos compõem esta nuvem?

Mais uma vez: toda nuvem tem por traz uma estrutura física que a suporta. Além do próprio data center os servidores e ativos de rede criam o valor agregado desta estrutura. É um raciocínio lógico: se a nuvem que você vai contratar não possui redundância de hardware você está “amarrado” a vida útil de apenas 01 equipamento que, por melhor que seja, pode falhar. Se o equipamento é melhor e possibilidade de falha é menor. Se além de melhor ele possui redundância, diminui ainda mais a chance de ter problemas.

A PRIMEHOST opera com as marcas mais utilizadas no mercado mundial e acredita firmemente em fornecedores que se tornaram referência no mercado como CISCO, VMWARE, EMC etc. Difícil errar quando se tem as melhores marcas por perto. Fique atento para empresas que possuem preços muito baixos. Certamente os baixos investimentos estão influenciando diretamente neste preço, não tem mágica. Pagar barato não significa comprar melhor, o risco vem embutido no desconto.

LinkedInShare
Categoria: Cloud Computing, PRIMEHOST | Tags: , , , , .

Deixe um comentário


9 − = 1