O cloud veio para ficar, diz IDC

“Com o grande número de dados armazenados e o aumento do tráfego de informações nos ambientes corporativos, o cloud computing acaba sendo um caminho sem volta, no qual os gestores de TI precisam enfrentar os desafios de adoção para não ficar para trás. Computação em nuvem veio para ficar”, aponta Ricardo Villate, VP de pesquisa e consultoria da IDC Latin América.

Para o executivo, o CEO moderno precisa ter o controle das aplicações dentro das organizações e para adotar o conceito de cloud é preciso primeiro entendê-lo. De acordo com os dados apresentados hoje (29) por Villate, em conferência da IDC em São Paulo, uma entre três empresas latino-americanas entendem ou tem alguma familiaridade com a nuvem. “Mas esse número está aumentando. Em 2010 só 3% das companhias estavam considerando algum serviço em cloud, em janeiro de 2011 esse número saltou para 14%”, diz.

No Brasil, segundo os dados da IDC, 18% das companhias locais de médio e grande porte conhecem ou já ouviram falar de cloud computing. Cerca de 18% dessas empresas já adotaram algum conceito de computação em nuvem. “Porém, se contarmos com todo o mercado, incluindo as pequenas empresas, esse número de adoção do cloud não passa de 5%”, acrescenta Mauro Peres, country manager da IDC Brasil. Mesmo assim, o executivo acredita que a computação em nuvem no País deve crescer acima dos 60% até 2013.

Nos Estados Unidos, 30% das empresas de médio e grande porte já adotaram algum serviço na nuvem. Em toda a América Latina, US$ 170 milhões é a estimativa de gastos em cloud privada. Esses números se estendem para aplicações internas de TI, ERP, BI e mobilidade, o que está em sintonia com as cinco mega tendências de tecnologia apontadas pela própria IDC: Cloud, Business Inteligence, Mobilidade, Sourcing Economy e Social Media.

Em pesquisa global feita pela companhia, no ano de 2010, foram gastos US$ 5 bilhões (cerca de 5%) com servidores, storage e redes em cloud. “Este número tende a crescer 20% ano a ano nos próximos cinco anos. Nossa expectativa é chegar em 2015 com 25% dos gastos em cloud relacionados a esses três itens”, completa Richard Villars, VP de Storage, Sistemas e Estratégias da IDC WW.

Villars compartilha da opinião da IDC e enfatiza que o cloud computing veio para ficar. Para ele, a adoção do conceito dentro das organizações depende da quebra de paradigma dos gestores. “É preciso que as companhias superem os desafios, entendam o conceito e as vantagens que a computação em nuvem pode proporcionar”, finaliza. Segundo as proporções da IDC, em 2013 de 30 a 35% das companhias brasileiras contarão com alguns serviços em produção no conceito cloud computing.


LinkedInShare
Categoria: Cloud Computing, PRIMEHOST | Tags: , , , .

Deixe um comentário


− 2 = 5